O trabalho da personal organizer Natália Giacometti + dicas de organização para o closet

04 Mar 2015 — por Bárbara Resende

living-gazette-barbara-resende-lifestyle-trabalho-personal-organizer-natalia-giacometti

Sou uma fã de organização, sempre fui – certas coisas a gente nasce gostando! – e passei a admirar ainda mais quando conheci o trabalho da personal organizer Natália Giacometti. Psicóloga de formação, ela estava insatisfeita com a profissão e, depois de um bom tempo sem saber o que fazer, decidiu se matricular em um curso de decoração. Mas o curso ainda ia demorar um pouco pra começar e surgiu nesse meio-tempo um outro curso rápido de organização. Ela fez e logo arrumou um trabalho, pela Home Organizer, no qual ficou quase um ano até partir para carreira solo, que anda muito bem, obrigada. Natália se diferencia de qualquer outro profissional que eu já tenha visto por um detalhe especial: ela tem um apuro estético encantador, deixando qualquer organização irresistível. Mais que organização, parece decoração; ela consegue deixar qualquer nicho, gaveta ou caixa com uma beleza estética que eu sou fã! E sua lista de clientes garante isso: sua melhor propaganda é, além do perfil maravilho tem-que-seguir que mantêm no instagram do qual roubei todas as fotos, o trabalho que é indicado de uma cliente para outra. Entre elas, a top model Carol Trentini.

Como é um assunto que tem interesse cada vez mais crescente no Brasil (culpa do consumismo dos últimos anos?), conversei com a Natália para saber como é o mercado de uma personal organizer, seu trabalho, como começou e, claro, dicas!

living-gazette-barbara-resende-lifestyle-organizacao-cozinha

O INÍCIO

O curso de decoraçao prática foi uma maneira de me aproximar do tema de interiores, pra entender sobre algumas noções de cores, tipos de construções e design de mobiliário. Foi uma tentativa de mudança de área, sair em busca de uma que sempre me atraiu muito. E foi nesse intervalo de tempo que surgiu este curso de organização de residências, bem geral, que já há tempos queria fazer. Sempre gostei muito do ambiente casa, e tudo que se refere.
E desde criança, adorava ver aquelas partes das revistas de decoraão que mostrava um pouquinho a mais da casa da pessoa, aquele cantinho do quarto, do guarda roupa, bem pessoal, que revela no fundo o jeito da pessoa.

Aliás, Natália me fez ter um gosto por esse aspecto também, de tanto que ela posta coisas desse tipo (a penteadeira, os artigos pessoais, mesas arrumadas) no seu instagram.

Na verdade, de inicio foi sem pretensão, mas pesquisava algumas referências de pessoas que já trabalhavam, até pra poder me informar sobre o tema. Foi pela Home Organizer que descobri a atividade como trabalho, e que me deu a oportunidade de ser sua assistente por um periodo de tempo. E daí fui divulgando meu trabalho, principalmente pelo instagram e fazendo meus contatos.
A tarefa tanto de fazer a organização, da rotina de ir fazendo o trabalho do fim pro começo, no sentido, de desmontar um ambiente e recompor pra criar espaços mais inteligentes e práticos, foi quase que uma diversão. Claro, que tem o lado da rotina do trabalho, mas ver a organizaçao em etapas, é um exercício para a mente, pelo menos na minha experiência pessoal.

living-gazette-barbara-resende-lifestyle-personal-organizer-natalia-giacometti-armarios-regras-organizacao

O MERCADO

Confesso que me surpreendi pela maneira positiva com que fui reconhecida, principalmente em SP, pois sou de Franca, interior de SP. O trabalho de organização profissional já se consolidou aqui, até pelo estilo de vida da capital e por ser um serviço que facilita a vida de quem contrata. É uma maneira de lidar com o tempo, com as questões atuais de bem planejar uma rotina doméstica, de uma casa saudável que tem tudo em seu lugar e funcionando para otimizar o tempo e dinheiro. E aí entra a questão de orientação das domésticas, de como usar eletrodomésticos, produtos de limpeza, instruções de como fazer a manutenção da ordem, evitar o desperdício, etc. Essa orientação é super importante para a casa aderir às mudanças, cada um precisa fazer a sua parte. Não de uma maneira militar e neurótica, e sim, organizada, de manter cada coisa em seu lugar.

Organizo tudo, inclusive lojas, que ja fiz e foi super bacana! As técnicas de organizar são simples e aplicáveis a qualquer situação.  As dobras precisam de uma habilidade manual, de fazer igual, lidar com diferentes tecidos para saber o que se dobra ou não. As clientes são exigentes, gostam de um visual agradável aos olhos, uma harmonia estética. Os critérios para a organização não podem ser deixados de lado para o visual; a ordem é a prioridade e arrumaçao é outra coisa. No dia-a-dia, o que se deve manter são os lugares, onde guardar. É uma mudança de comportamento, novos hábitos precisam ser criados para que a manutenção seja garantida.
Eu diria que o meu preferido de fazer é rouparia de cama e banho, pela semelhança das texturas, cores e tamanhos. É mais fácil alcançar um padrão de dobras e formatos. Fica como loja!

EQUIPE&ORÇAMENTO

As diárias são as referências: para ter uma estimativa de quantos dias que serão necessários, mas toda proposta deve ser ajustada de acordo com o tipo de serviço que será oferecido. Na maioria das vezes, faço o trabalho sozinha; tenho uma grande amiga, personal organizer e stylist, a Fernanda Molinari, que eventualmente estamos juntas em alguns projetos. Também faço trabalhos para a agência de concierge Beskope Life.

living-gazette-barbara-resende-lifestyle-dicas-organizacao-armario-bijoux-sapatos-personal-organizer-natalia-giacometti

LOJAS

A loja que mais gosto e que sempre compro para as clientes é na Utilplast (em SP na Al. Lorena, 1931 e online). Gosto também da Leroy Merlin, em Campinas, para cabides e caixas. Gente, para cabides eu indico também o Sam`s Club! Melhor custo-benefício e olha que comparei muito antes!

Eu já vou colocar em prática pelo menos duas das dicas: a das bijoux (eu não sabia mais o que fazer com os máxi colares, que estão amontoados em caixas! Agora vou pendurá-los) e a de colocar as roupas onde estavam, sem deixar para depois, para que a cama fique livre como deve ser! 

Mas além das dicas, queria mesmo mostrar mais uma vez a história de uma grande mudança de carreira: quando ouço histórias assim, sempre tem algo em comum, que é aquela coisa de você enfim trabalhar com algo que já gostava desde criança. Nossos instintos parecem não falhar mas com o tempo, passamos a querer outras coisas. Pelo que vejo, vale a pena seguir essa pista.

Dúvidas sobre organização, deixem nos comentários e indico muito acompanhar o trabalho dela no instagram @nataliagiacometti.

Em tempo: uma novidade da Natália com a Theodora Home!  

living-gazette-barbara-resende-lifestyle-personal-organizer-natalia-giacometti-sorteio-theodora-home

Saiba mais aqui!

MIX

O banal que vira fantasia nas esculturas de Jeff Koons

04 Mar 2015 — por Bárbara Resende

living-gazette-barbara-resende-mix-arte-jeff-koons-esculturas-ovo

Grandes, algumas enormes, brilhantes, coloridas e retratanto objetos banais do cotidiano: as esculturas da série Celebration do artista americano Jeff Koons são um misto de arte, cotidiano e fantasia que encanta. Ele transforma o brega (vide as esculturas que imitam aqueles balões de festa que se transformam em flores e animais!), o comum e despercebido (um ovo quebrado? sim, e é lindo!) e até o clichê (corações, corações!) em peças que chamam a atenção e trazem o lúdico para a arquitetura de grandes cidades. Feitas com espelho de aço inoxidável polido com revestimento de cor transparente, elas tem brilho e imponência e, sem dúvida, tiram um sorriso do rosto justamente por retratar itens que todos conhecem, mas que são elevados à arte moderna. Genial!

living-gazette-barbara-resende-mix-arte-jeff-koons-esculturas-coracao

O Sacred Heart é uma das minhas favoritas! Lindo demais, com esse super laço… bem clichê mas quem resiste? A maioria das esculturas estão disponíveis em 5 cores: esse coração pode ser encontrado também em violeta, dourado com laço vermelho, magenta e azul com laço magenta. Queria um em casa, de qualquer cor!

living-gazette-barbara-resende-mix-arte-jeff-koons-esculturas-elefante

Mais um coração bem lindo, dessa vez pendurado, com um daqueles laços com fitas finas. Uma das esculturas mais famosas é a Balloon Dog, também feita em várias cores (azul, magenta, vermelho, laranja – a que foi vendida, amarelo). O brilho da escultura que a torna mais glam – senão seria apenas uma versão gigante do cachorro feito de balão, aquele que já conhecemos

living-gazette-barbara-resende-mix-arte-jeff-koons-esculturas-tulipas

As tulipas são lindas assim, juntas, em várias cores, uma mais linda que a outra

E agora outra escultura dele que eu adoro, divide o status de predileta com o Sacred Heart: a Diamond.

living-gazette-barbara-resende-mix-arte-jeff-koons-esculturas-diamante

A ideia desse post veio justamente dessa foto: fiquei boquiaberta quando vi, no site The Coveteur, que a Lisa Perry tinha esse diamante no terraço de sua cobertura! Seu marido, Richard Perry, quem comprou – até que por uma barganha, se comparado ao Balloon Dog de mais de US$ 50 milhões – e teve alguns problemas com os vizinhos quando colocou a peça no terraço em 2007: quando o sol batia, refletia a luz verde, bem intensa, nas janelas dos prédios ao redor. Depois de reclamações, ele mudou o ângulo da escultura, de forma que não prejudicasse os vizinhos. Aliás, um deles, no mínimo irritado, chegou a dizer que a escultura “é tão feia quanto parece”.  Já pensou ter uma dessas em casa?

Será que tem versões em miniatura dessas peças, assim, a preços mais atrativos, em alguma lojinha de museu e galeria?

Para quem quer ver as obras de Jeff Koons de perto, vale a pena sempre conferir as exposições: são várias ao redor do mundo 

Desejos do mês: março 2015

03 Mar 2015 — por Bárbara Resende

Eba, meu mês favorito! Só isso já empolga para os 31 dias a seguir. Eis alguns dos meus singelos desejos para março!

living-gazette-barbara-resende-lifestyle-desejos-mes-marco-2015-nk-para-cea-escova-bola-livro-arte-editar-revistas

 

Depois de 2 meses não muito fáceis pessoalmente (crise existencial, sabe?), estou enfim muito mais motivada agora. Aliás, tão motivada que me deu uma vontade de ir novamente a uma semana de moda! Se arrumar como nunca, encontrar gente que não vejo faz um tempo, ver gente que admiro, estilosa, enfim, estar nessa atmosfera que não vivo há umas temporadas e que realmente me fez falta agora. Planejar para em breve! Aliás, acho que parte da motivação tem vindo de livros: depois de um ano fraco nas leituras, esse ano já li 3 e meio que vicia! O próximo que quero trazer pra casa é esse da Fátima Ali (foi lançado em 2009 e se esgotou e agora parece que colocaram uma nova edição à venda) que já dei uma folheada e é super explicativo. A Fátima foi vice-presidente da Abril e uma das responsáveis por trazer a MTV pra cá, além da revista Cosmopolitan (Nova), entre outros feitos. Já participei de uma palestra informal/bate-papo com ela e foi demais! Para o armário, foco na coleção da NK para C&A (veja o post aqui com as peças e preços) e nas escovas para cabelo (aqui o link para comprar a escova-bola) – ando numa fase tão produtos de beleza! E no quesito décor, além de finalizar a obra (meio sem coragem viu), quero muito colocar de volta uma escrivaninha de madeira no quarto e decorar como Sig fez.

No mais, é ter o mantra do mês na cabeça e a imagem da Vogue e ter fé que março vai ser demais!

O QG da Vogue Brasil em Milão

02 Mar 2015 — por Bárbara Resende

living-gazette-barbara-resende-decor-qg-vogue-milao

Adoro acompanhar as semanas de moda internacionais pelo instagram, blogs e sites e nessa temporada percebi que Milão ficou mais badalado que de costume: além dos desfiles serem bem comentados (Prada, Gucci, Pucci entre tantos outros), um bom número de blogueiras brasileiras escolheu a semana de moda milanesa para acompanhar in loco, o que gerou muito mais assunto via internet – adorei!

E foi em um desses cliques no instagram (postado por Vic Ceridono) que me deparei com a bela sala do apto que a Vogue Brasil alugou para a estadia de suas editoras. Charmoso, com uma decoração eclética, o apto foi alugado via o site Airbnb! Claro que fui pesquisar as 58 páginas de aptos em Milão para encontrar mais fotos desse em especial: ufa, aqui está!

living-gazette-barbara-resende-decor-milan-fashion-week-qg-vogue-milao

O apto fica na região de Corso Garibaldi e tem uma espaçosa e bem decorada sala, com piso de madeira, janelões e mobília bem aconchegante. São 4 quartos, 3 banheiros e várias comodidades como internet sem fio, aquecedor, ar condicionado, lavadora e secadora

living-gazette-barbara-resende-decor-qg-vogue-milao-fashion-week

Que graça a sala de jantar! Adoro essas cadeiras de palhinha

living-gazette-barbara-resende-decor-semana-moda-qg-vogue-milao

Achei bem interessante a Vogue escolher uma acomodação do Airbnb! O site é um sucesso por alugar casas e aptos no mundo todo de pessoas comuns – você pode alugar um quarto ou o imóvel inteiro e até o sofá da sala! – com uma enorme variação de valores e estilos de acomodação. Esse que a equipe da Vogue ficou custa R$ 1.639/dia e é alugado por no mínimo 3 dias.

Que tal alugar para a próxima fashion week?

Quem já alugou pelo Airbnb?

Coleção-desejo: Prada fall 2015

27 Fev 2015 — por Bárbara Resende

Que coleção! Não paro de ver e rever as fotos, dos detalhes, de cada look, dos acessórios dessa coleção de inverno incrível da Prada, desfilada ontem em Milão. Desde o delicado verão de 2012, as coleções da marca não me chamaram a atenção/influenciaram, mas essa foi arrebatadora: feminina, com um quê retrô, uma cartela de cores muito interessante (pastel combinado com tons mais fortes, ácidos), do início ao fim, uau.

living-gazette-barbara-resende-moda-desfile-prada-fall-2015living-gazette-barbara-resende-moda-desfile-prada-fall-2015

Sapatos-boneca (tenha certeza que vai virar hit), tweed, couro de avestruz, um neoprene muito delicado, bordados, broches – inclusive em perspex, muitas luvas… cada look cheio de detalhes primorosos. Terninhos com calça mais curta (ela está por toooda a parte), vestidos em linha A, casacos/vestido, coletes, blusas com gola usadas por baixo de tops e vestidos de alcinha nortearam a coleção. Segundo o style.com, Miuccia Prada já não andava tão influente nas últimas coleções – com uma leve queda nas vendas – mas com essa coleção mostrou sua capacidade de arrebatar novamente o desejo pela marca. Os detalhes são ainda mais incríveis!

living-gazette-barbara-resende-moda-desfile-prada-fall-2015-detalhes living-gazette-barbara-resende-moda-desfile-prada-fall-2015-detalhes

A grande novidade em relação às bolsas são as duplas (sim! uma dentro da outra), que vem em mil combinações de cores e materiais; encontraram um jeito de usar duas bolsas Prada de uma vez! As luvas, os broches e os sapatos sem dúvida vão virar sucesso naquela cadeia que já conhecemos: revistas, infuenciadoras, lojas de depto, grande público. Se quiser pular uma das etapas, taí a super inspiração para começar a usar já!