Desejo da vez: clutch de margarida

22 Set 2014 — por Bárbara Resende

Adoro flores em acessórios por isso foi fácil fácil me encantar com essas clutches fofas, cheias de margaridas aplicadas, com detalhes em dourado. Dá para resistir?

living-gazette-barbara-resende-moda-desejo-vez-clutch-margarida-petite-jolie

para comprar online: das diversas lojas online que vendem Petite Jolie, encontrei essa clutch apenas nas versões toda nude ou toda branca e em outra loja online a versão toda preta. Com flores brancas (minha preferida), procurei e não encontrei

A marca Petite Jolie é conhecida por fazer sapatos e bolsas em plástico (as clutches me parecem ser de um plástico fosco) e fazia um tempo que não checava seus produtos e, além dessa linha de margaridas que inclui alguns sapatos, tem outros produtos que me vi desejando, como a sapatilha de estilo retrô. Mas quero começar com as clutches de margaridas!

Double Serum Clarins

19 Set 2014 — por Bárbara Resende

living-gazette-barbara-resende-beleza-review-clarins-double-serum-sepha-perfumaria

Ah como eu adoro a Clarins! Já usei alguns cremes da marca (tristeza quando acabam!) e gostei de todos, então meu nível de confiança – e esperança – é sempre alto quando tem produto novo da Clarins na minha bancada. Dessa vez, a Sépha me enviou o lançamento (não tããão novo assim, chegou ao Brasil há quase um ano – em novembro) que na verdade é um relançamento: o Double Serum, um sérum anti-idade potente, muito bem comentado no exterior (ganhou nada menos que 70 prêmios de beleza no exterior) e por aqui também.

living-gazette-barbara-resende-beleza-resenha-clarins-double-serum-sepha-perfumaria

O Double Serum é para todos os tipos de pele, todas as idades, pode ser usado 2x ao dia, é basicamente um produto bem prático. Na lista de promessas para a pele está: super hidratar (o que retarda o aparecimento de rugas), nutrir, oxigenar, proteger e regenerar, aumentando a produção de colágeno (pele mais firme e densa). A fórmula é enriquecida com 20 extratos de plantas e o produto associa 2 fases: uma hídrica e outra lipídica, tanto que a embalagem tem essa divisão, assim dá para unir os melhores princípios ativos solúveis tanto em água quanto em óleo.

living-gazette-barbara-resende-beleza-resenha-clarins-double-serum-beneficios-sepha-perfumaria

Quando recebi o produto, estava há uns dias sem passar nada no rosto (tive semanas bem puxadas de trabalho e a pele ficou irritada, estressada, precisei deixá-la respirar), então pude notar melhor o resultado ao usar o Double Serum. Minha rotina começa limpando bem a pele com a escova D-Clean (não fico mais sem, dá muita diferença!) após o banho e então aplico duas gotas pequenas do Double Serum em uma mão, aqueço o produto esfregando as mãos e aplico no rosto. Ele tem uma textura densa, então se aplicar um pouco mais, é muito, então tem que ir moderadamente. A pele absorve muito bem – quando na quantidade certa de produto, tanto que aplico outros cremes depois e não fica nada pegajoso, pelo contrário: parece que a pele está sedenta, suga tudo! Isso faz com que rapidamente já se perceba a pele mais macia.

Uso também de manhã (mas sem a D-Clean), como primeiro produto (lembre-se que o sérum serve para potencializar os produtos que vem depois) e garanto que a pele não fica nada pegajosa. Estou usando o Double Serum há mais de um mes e o que notei é que a pele está bem mais hidratada, macia (esses efeitos são percebidos rapidamente), lisa, mais uniforme no geral (embora eu tenha mil pintas, sardas e manchinhas, o tom está mais homogêneo) e, mais próximo aos olhos, percebo, ainda que aos poucos, as rugas estão mais suaves. Basicamente, alisou a pele.

Não uso o Double Serum sozinho, tenho outros cremes que acompanham e usei até acabar o Multi-Active Nuit, também da Clarins: eu já tinha usado o Multi-Active Day (na verdade comprei errado, queria o de noite) e adorado, então foi fácil gostar do Nuit. Também estava usando o Multi-Active Skin Renewal Serum (um sérum que parece um creme, bem leve). Além desses, super recomendo o Baume Beauté Eclair:

living-gazette-barbara-resende-beleza-produtos-clarins-sepha-perfumaria

Esse Balm…preciso recomprar, porque é ótimo, a Vic Ceridono também já falou dele. Ah, bônus dos cremes da Clarins é que todos que usei tem um cheirinho bom! E para deixar o post mais completo, conversei com a treinadora da Clarins, Maria Cristina Abdias, para tirar algumas dúvidas, veja o que ela conta e recomenda:

• A partir dos 25 anos (até os 40) é recomendado o Double Serum e os 2 Multi-Active (Day e Nuit)

• O erro mais comum é comprar um produto que não é específico para o seu tipo de pele ou errar na constância da aplicação: muitas mulheres usam o produto por 2, 3 dias e já esperam resultados imediatos

• Para uma pele jovem, não basta somente um produto anti-idade. Para a Clarins, o ideal seria criar uma rotina para postergar o envelhecimento através de 3 cuidados básicos: esfoliar, hidratar e proteger

Aprenderam? Estou firme como nunca estive na minha rotina diária: limpo com a escova D-Clean, passo o Double Serum, depois um anti-rugas, um para a área dos olhos. De manhã, Double Serum, área dos olhos e algum outro creme. Uma vez por semana, exfoliante. Nunca, nunca durmo sem tirar a maquiagem também. Demorei para começar esses cuidados com cremes, mas minha pele nunca esteve tão hidratada, macia e lisa. Meu próximo passo é acabar com as manchas e algumas pintas de sol (talvez um laser). Por uma pele cada vez melhor para nós mesmas!

Cores e texturas sofisticadas trazem personalidade a escritório

18 Set 2014 — por Bárbara Resende

Acho que uma dose de ousadia, nem que seja em um detalhe, na decoração faz toda a diferença e muitas vezes é o que traz estilo, personalidade a um espaço  - que o diga a escolha do mármore para a minha cozinha! Esse escritório, que na verdade é um espaço compartilhado especialmente para decoradores, conseguiu ter essa certa ousadia (certa mesma, bem na medida) que deixou o ambiente chique mas também descolado. Cores sofisticadas (jewel tones), texturas, mistura de estilos e um pouco de estampa deram um efeito incrível!

living-gazette-barbara-resende-decor-escritorio-chique-descolado

Metal (dourado), veludo, madeira, acrílico fazem a mistura de texturas, deixando o espaço bem aconchegante. As cores (ando desejando um sofá nesse tom de verde!) enobrecem os ambientes. A saleta privativa é uma graça: adorei a combinação do veludo mostarda da poltrona com o azul bic (e acrílico) da mesa. Tem um pouco do clássico mas numa leitura mais moderna. O escritório completo vai muito além disso: tem janelões e parede de tijolos rústica em branco, com várias mesas para reuniões mas foram esses dois ambientes (a saleta privada e o living) que me encantaram. Já estou querendo dar uma reformulada no meu!

Um preview do filme The Intern, de Nancy Meyers

17 Set 2014 — por Bárbara Resende

living-gazette-barbara-resende-mix-filme-the-intern-nancy-meyers

Que tal ver Anne Hathaway - nossa eterna Andy Sachs – atuando novamente em um filme leve, divertido sobre moda? E ainda mais dirigido por Nancy Meyers, a mesma de Alguém tem que ceder (adoro esse filme), O amor não tira férias e Simplesmente Complicado, todos com cenários charmosos? Essa é a ansiedade que gira em torno do filme The Intern, com estreia prevista nos EUA dia 25 de setembro de 2015 (ai!) e que conta a história de uma startup de moda (e-commerce) que contrata um estagiário de 70 anos.

Anne Hathaway faz o papel de Jules Ostin que tem essa empresa que vende roupas online, que segundo Nancy Meyers é “como Net-a-Porter, mas menor. Eu gosto de comprar coisas online e eu sempre imaginei como esses escritórios seriam. Eu espero que todos se pareçam bacanas mas não é sobre alguém em casa, é sobre alguém no trabalho. Se passa em uma fábrica antiga no Brooklyn.” Jules então concorda com um programa comunitário e contrata um estagiário de 70 anos, interpretado por Robert De Niro. O resto da história, só nos cinemas, mas Nancy Meyers deu um belo preview do que esperar dos cenários, o que me deixa ainda mais ansiosa!

living-gazette-barbara-resende-mix-filme-the-intern-nancy-meyers-set-decorliving-gazette-barbara-resende-mix-filme-the-intern-nancy-meyers-jules-house-decor

A decoração é típica dos filmes de Nancy Meyers: aconchegante, arrumada, mas nem tanto. Em NY é bem comum essas antigas fábricas, galpões de tijolos e muitas janelas que se transformam em escritórios e lofts cheios de charme. As filmagens começaram em junho, no Brooklyn e é o primeiro filme de Meyers depois de anos sem nada seu nas telas: o último foi Simplesmente Complicado, de 2009. E curiosidade: Reese Whiterspoon é quem faria o papel de Anne Hathaway, tinha até começado a filmar, mas deixou o filme em janeiro e em fevereiro Anne ocupou seu lugar.

Por ser um filme de moda, o figurino é um papel a parte e como será o de Jules Ostin? Aqui uma prévia do que já se viu nas filmagens.

living-gazette-barbara-resende-mix-filme-the-intern-figurino-anne-hathaway living-gazette-barbara-resende-mix-filme-the-intern-figurino-anne-hathaway

Um tanto sóbrio não? Mais discreto e, como nos filmes de Meyers, normal, adoro! A estreia por aqui ainda não tem data, mesmo porque ainda temos um ano inteiro até estrear nos EUA, enquanto isso, dá para se entreter com as fotos (muitas delas postadas no @nmeyers), e esperar. Que passe rápido!

Camiseta branca, sempre

16 Set 2014 — por Bárbara Resende

Minha peça preferida do armário (ao lado da calça jeans, para evitar briga) que adoro pela sua simplicidade e versatilidade, que por isso mesmo a fazem tão chique sem esforço: a camiseta branca vai do básico ao sofisticado, do clean ao descolado, sempre sendo ela mesma. E quando eu acho que já vi todo o potencial de uma camiseta branca, vejo esse look com saia de tule florida na passarela: simples e lindíssimo.

living-gazette-barbara-resende-moda-desfile-nyfw-spring-2015-camiseta-bca-michael-kors

Meu look preferido do desfile de Michael Kors nessa temporada. Aqui, a camiseta é mais alongada – já que a saia tem aquela transparência levemente velada até a cintura – e não é de algodão e sim cashmere. A manga mais comprida remete a camiseta branca dos anos 90, porém essa é mais ajustada.

Não sei se é a saia de florida que dá destaque à camiseta branca ou se é a camiseta branca que dá destaque à saia florida. De qualquer forma, nenhuma outra blusa, nenhuma outra cor, ficaria tão incrível.